Conheça os exames mais eficazes para o diagnóstico preciso da endometriose

A endometriose é uma doença caracterizada pela presença do endométrio – a cavidade interna que reveste o útero – fora da cavidade uterina. Isso significa que o tecido passa a ocupar outros órgãos do sistema reprodutivo feminino e também do sistema urinário, como os ovários, as trompas e a bexiga.

De acordo com a médica ultrassonografista da Ômega Diagnósticos, Gislaine Sella Gorla, "Uma mulher que apresenta o quadro de endometriose não vai ter a descamação do endométrio – que ocorre na menstruação – e sim um deslocamento do tecido para os órgãos vizinhos", explica. Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), a doença afeta de 10% a 15% das mulheres em fase reprodutiva no mundo.

A doença pode ser identificada por meio de alguns sintomas, sendo os principais: presença de cólica menstrual intensa, dor na relação sexual e dificuldade para engravidar. "De todos esses, é importante ficar atento à constância da cólica, porque é o principal sinal da existência do deslocamento do endométrio", aponta Gislaine.

Apesar dos sintomas citados, a médica ressalta que existem pacientes assintomáticas, ou seja, que não apresentam sinais. Nesse caso, Gislaine salienta a importância do acompanhamento frequente com um especialista: "Como algumas mulheres podem não apresentar sintomas, é importante procurar um médico ginecologista desde a primeira menstruação".

No mercado atual, existem dois exames especializados para o diagnóstico da endometriose: o ultrassom com preparo intestinal e a ressonância magnética com preparo intestinal. Ambos são ofertados pela Ômega Diagnósticos em Londrina.

Para a ultrassonografia, a paciente precisa realizar um preparo intestinal com o uso de laxantes via oral e a adoção de uma dieta no dia anterior ao exame.

A ressonância magnética com preparo intestinal complementa os resultados da ultrassonografia. Gislaine aponta que "o pedido dos dois exames fica a critério do médico que está acompanhando a paciente, mas existe sim uma relação complementar entre eles. Durante o procedimento, realizamos a pesquisa de onde estão localizados os focos da endometriose", finaliza.

Assista ao vídeo para saber mais: 

Compartilhe:

VOLTAR